Na última quarta-feira (7), o Tribunal do Júri decidiu absolver a empresária Andreia Carla Kotovski, de 30 anos, da acusação de decapitar o ex-marido, Edivaldo Dias, de 38 anos, em Almirante Tamandaré, no Paraná. Porém, o júri a condenou a um 1 anos e 9 meses de prisão por ocultação de cadáver e fraude processual. Como Andreia já ficou presa por 1 ano e 10 meses, ela deve ganhar a liberdade.

Já o outro acusado, Gean Carlos Froggel, que confirmou ser responsável pelo crime, foi condenado a 16 anos de prisão por homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver. Gean segue preso para cumprir o restante da pena.

No banco dos réus, Andreia admitiu o envolvimento na morte do ex-marido, mas alegou que estava cansada de sofrer ameaças e atos de violência por parte da vítima e que sabia o que poderia ocorrer quando ligou para Edivaldo e o chamou para ir até sua casa.

Ela disse ainda que o relacionamento com Edivaldo durou seis meses e foi conturbado, além de passar por diversas agressões, ameaças e perseguições. 

O caso 

O corpo de Edivaldo foi encontrado no dia 16 de outubro de 2019, três dias após o crime. No dia 17, a cabeça da vítima foi encontrada em outro lugar. Andreia Carla Kotovski foi presa em Rio do Sul, em Santa Catarina, por policiais civis da Delegacia de Almirante Tamandaré.

Durante a prisão, Andreia teria oferecido R$ 10 mil para não ser presa pela equipe policial, motivo que foi autuada em flagrante pelo crime de corrupção ativa.

Com informações Banda B.