Os carteiros em greve em Apucarana, se reuníram nesta segunda-feira (24), no Centro de Distribuição de Domicílios (CDD), para atualizar informações sobre a paralisação da categoria que completa uma semana. Segundo a coordenação do movimento, já são mais de 6 mil caixas de encomendas paradas por falta de pessoal para completar o serviço.

O diretor do Sindicato dos Trabalhadores nos Correios de Londrina (SintCom), em Apucarana Fabiano Silvério, ainda relata que há mais de 40 mil correspondências sem serem entregues nesta primeira semana de greve.

O CDD em Apucarana tem 34 carteiros na logística de entregas e 30 deles estão na greve que foi deflagrada quase por unanimidade da semana passada. O motivo do movimento é em protesto a medidas que podem retirar direitos trabalhistas da categoria. Além da privatização dos Correios e a falta de medidas para proteger a classe na pandemia.

Em Arapongas, o movimento segue com a paralisação de 18 dos 30 profissionais do CDD. Segundo o SintCom, a adesão média no Paraná chegou a 70% na última sexta-feira (21).

A orientação do sindicato da categoria é que os clientes dos Correios, reclamem caso estejam com as entregas em atraso. “Quanto mais reclamações, acreditamos que mais rápido possa haver uma solução para o impasse”, diz o diretor do SintCom, em Apucarana Fabiano Silvério.