A Secretaria Municipal de Saúde, por meio do Controle de Endemias divulgou nesta terça-feira, 11, o relatório do período epidemiológico referente a agosto de 2019 até o dia 31 de julho de 2020 – fechamento do ciclo. No período citado, foram realizadas 168.090 visitas domiciliares – perímetro urbano e áreas rurais. Nessas ações, foram feitas a eliminação de criadouros do mosquito aedes aegypti (causador de doenças como a dengue), tratamento focal e conscientização junto aos moradores. Em pontos estratégicos, locais para depósito de pneus, borracharias, depósitos de sucatas, cemitério, e locais de armazenamento de recicláveis, entre outros, foram realizadas 1.931 visitas. O relatório traz também o registro de 1.179 notificações – pessoas que apresentaram sintomas da doença, das quais, 100% tiveram acesso aos exames. Do total de notificações foram confirmados 378 casos, sendo 288 autóctones – quando o paciente contrai dengue dentro do próprio município e 90 casos importados – adquiridos em outros municípios.  As ações de bloqueio chegaram em 250 registros; 853 supervisões de campo; 765 atendimentos de reclamações ou denúncias; 597 atividades de conscientização, como palestras e eventos. O relatório incluiu também 96 visitas em postos de informação de triatomíneos (P.I.T), quando houve relatos de aparecimento do inseto barbeiro, causador da doença de chagas.

Para o coordenador do Controle de Endemias, Valdecir Pardini, todas as ações voltadas ao combate à dengue foram aplicadas na prática, evitando que o município chegasse ao estado de epidemia da doença. “ Em um cálculo usual feito por números de habitantes, para que Arapongas atingisse o estado de epidemiologia da dengue, precisaríamos do registro de 363 casos autóctones. O que felizmente não aconteceu. Isso se deve aos serviços que foram feitos, em cada casa, em cada bairro. Levando a eliminação dos focos por bloqueios feitos pelos nossos agentes de combate a endemias (ACE’s), também orientando a população, que é parte importantíssima no controle e combate do mosquito”, disse. Pardini acrescenta ainda que mesmo com a diminuição das notificações, os esforços não devem cessar. As equipes do Controle de Endemias, junto à população devem seguir na luta e ações constantes que impeçam a proliferação da dengue no município.

Em caso de orientações, denúncias e demais informações, a população deve contatar o Controle de Endemias, através dos telefones 3902-1079 ou 153 – Guarda Ambiental.