O governo do Estado de São Paulo anunciou nesta quarta-feira (29) a doação de R$ 96 milhões do Comitê Empresarial para ajudar a dobrar a produção da CoronaVac no Instituto Butantan. Em parceria com o laboratório chinês Sinovac, essa é uma das mais promissoras e desenvolvidas vacinas contra a Covid-19 em termos temporais e já está na terceira fase de testes. O governador João Doria declarou que recentemente o Instituto foi procurado por outros países do continente que teriam interesse na aquisição da vacina. Para isso, é preciso aumentar a capacidade de produção.

De acordo com Doria, esse valor doado tem objetivo de agilizar essa duplicação. “A meta é dobrar a produção da vacina de 60 milhões para 120 milhões. A boa notícia é que essa foi a segunda reunião e já conseguimos o compromisso de R$ 96 milhões dos R$ 130 milhões necessários. Isso é prova da generosidade dos que acreditam na esperança da vacina, que tem o objetivo de salvar vidas e a economia”, disse. Doria ressaltou que todas as doações serão fiscalizadas e auditadas. Essa quantidade de vacinas seria suficiente para suprir inicialmente de forma concomitante tanto o Brasil quanto o exterior.

O diretor do Instituto ButantanDimas Covas, ressaltou que os 12 centros de pesquisa — aos quais 5 vão estar em pleno funcionamento a partir da quinta (30) — tem a missão de incluir os 9 mil voluntários da vacina até setembro. Após isso, caso os resultados sejam positivos, a próxima etapa é começar o processo de registros. “Isso possibilita que, no começo do próximo ano, tenhamos a vacina com quantitativos definidos”, esclareceu. “Cerca de 60 milhões a partir de outubro e outros 60 milhões no começo de 2021. Isso é contratual. O Butantan pode começar a fazer essa formulação em outubro.” Covas ainda destacou que a fábrica onde serão produzidas as vacinas já existe, mas precisa ser reformada.

Atualizações dos números

O Estado de São Paulo tem nesta quarta-feira 514.197 casos confirmados da Covid-19 e 22.389 óbitos. A taxa de ocupação das UTI está em 65,5% no Estado e em 63,3% na Grande São Paulo. Em relação aos internados, 5.214 estão em UTI e 7.391 em enfermarias. Nesta semana, o Instituto Butantan iniciou uma ação de testagem inédita em comunidade quilombolas. Além dos testes serão distribuídas cestas básicas e álcool em geral.