Em requerimento, vereadores pedem solução para ligação da rede de energia elétrica na Vila Nossa Senhora Aparecida

Em requerimento, vereadores pedem solução para ligação da rede de energia elétrica na Vila Nossa Senhora Aparecida

12 de setembro de 2019 Off Por admin

Proposto pelos vereadores Antônio Carlos Sidrin e Lucas Leugi, o requerimento foi aprovado por unanimidade dos vereadores e vereadora

Em regime de urgência foi aprovado na tarde de segunda-feira (09/09), o requerimento de autoria dos vereadores Lucas Leugi e Antônio Carlos Sidrin, pedindo informações ao diretor da Companhia Paranaense de Energia Elétrica (Copel), de Apucarana, sobre a ligação da rede de energia elétrica na Vila Nossa Senhora Aparecida. O problema que estende-se há anos, é, de acordo com os vereadores, em uma área de ocupação urbana onde moram atualmente cerca de 150 famílias.

“Estamos fazendo este pedido por se tratar de pessoas que ainda não possuem esse benefício, embora exista rede de energia elétrica no local. A Vila Nossa Senhora Aparecida fica nas proximidades da Vila Regina”, explicou Leugi.

Bastante descontentes com o trabalho da Copel, Leugi e Sidrin afirmaram que a questão é burocrática. “Os moradores não querem nada de graça. Eles querem pagar pelo serviço ofertado pela empresa de energia elétrica, mas nem assim são atendidos. O que estamos pedindo é direito, é justiça social”, alegou o vereador. “As crianças, como os adultos, tomam banho gelados em dias frios. Chegam em casa exaustos, cansados, depois de uma jornada difícil de trabalho ou das atividades escolares. Outras vezes, o alimento estraga por não ter uma geladeira para conserva-los. Não é fácil essa situação. Nós chegamos em casa e achamos tudo certo, chuveiro com água quente, alimentos conservados. Temos que pensar. Está difícil de vivermos sem internet, imagina viver sem energia elétrica”, completou Leugi.

Sidrin reforçou o apelo do vereador Lucas e mais uma vez reafirmou o compromisso dos moradores do assentamento em pagar pela energia que irão utilizar. “Eles não querem as coisas erradas, não querem nada clandestino ou dos “gatos” como são chamados.  Não querem nada de graça. Querem energia da forma correta para terem uma qualidade de vida melhor. Precisamos de sensibilidade dos gestores da Copel”.

Marcos da Vila Reis pontuou que a Copel deveria prestar o serviço da melhor forma possível. “Ela vende o produto e não quer colocar à disposição da comunidade? Por que não atender as famílias que precisam e pedem com tanta urgência? ”, questionou.

O presidente Luciano Molina detalhou que no final de 2018, o lucro líquido da Copel foi de R$ 1,44 bilhão. “Acredito que está faltando vontade de investir. Não custa nada fazer as ligações para as famílias que moram na Vila Nossa Senhora Aparecida. Eles estão pedindo e mais que isso, necessitando do serviço”, disse Molina.

O requerimento foi encaminhado hoje pela Câmara a gerencia da Copel e o vereador Lucas Leugi espera receber o mais breve possível um retorno da empresa. “Caso contrário iremos convidar o diretor para que venha até a Câmara prestar esclarecimentos sobre o que está acontecendo naquela localidade e em outros locais da cidade. Mas, tenho certeza que a Copel preza pelo desenvolvimento da cidade e tomará as medidas necessárias para acabar com esse problema o mais rápido possível, atendendo assim, essa demanda”, finalizou Leugi.

No requerimento, os vereadores Lucas Leugi e Sidrin fizeram apenas um questionamento que, após respondido pela Copel, certamente será divulgado a todos. “Por que não são efetuadas as ligações de energia elétrica nas residências da Vila Nossa Senhora Aparecida? ”