O secretário de Estado de Saúde, Beto Preto, aproveitou a entrevista sobre a chegada de mais 242 mil doses de vacina Astrazeneca, contra a Covid-19, nesta quinta (6) para fazer um apelo aos paranaenses que redobrem os cuidados no próximo domingo, Dia das Mães. “Um ano e dois meses de pandemia, nós já sabemos o que a Covid-19 pode causar.

A pandemia não acabou. O próximo domingo é Dias das Mães e mais uma vez a gente vem pedir, com respeito, todo cuidado. Quem se reunir,  que seja em segurança, com cuidados, distanciamento, com máscara. A imunização está acontecendo, mas o momento é de muito cuidado e cautela. Às vezes a reunião mais inocente, realizada na maior da boa-fé com grande intensidade de saudade é aquela que pode levar o vírus para dentro das casas”, afirmou o secretário.

O Paraná recebeu nesta quinta 242 mil doses Astrazeneca e deve receber mais 67.774 doses da Pfizer até final da semana, que devem ser aplicadas em pacientes com comorbidades e deficiência, gestantes, puéperas e antecipação para profissionais de educação. Beto Preto pediu que os municípios sejam rápidos nesta imunização, vacinando de domingo a domingo e que intensifiquem a busca ativa dos cidadãos que não voltaram para aplicar a segunda dose.

Polêmica das gestantes

Preto disse que em uma reunião com as regionais de Saúde e os conselhos municipais, as cidades, nesta quinta (6), todos acataram a antecipação da imunização dos profissionais de educação que, segundo a Secretaria de Estado de Saúde (Sesa), somam 381 mil pessoas. 

Sobre as diferenças com a prefeitura de Curitiba, que decidiu não imunizar as gestantes e puérperas nestas primeiras semanas de vacinação do grupo prioritário, alegando a entrada dos professores no calendário de vacinação, o secretário reafirmou que o grupo deve sim ser incluído o mais rápido possível, porque dados do Paraná e do Brasil indicam um grande número de grávidas com gestações interrompidas devido ao coronavírus:

“É fundamental que todos os municípios do Paraná imunizem grávidas e puérperas, ou seja, todos o grupos ao mesmo tempo. O momento não é de causar polêmica, é de unir esforços. A Prefeitura disse que ainda há profissionais de saúde para vacinar, mas esses podem esperar uma ou duas semanas, já que os que trabalham na linha de frente e hospitais já foram vacinados”, disse ele. Preto lembrou ainda que muitas gestantes terão que esperar um pouco para tomar a vacina contra Covid-19, já que tomaram recentemente a vacina da gripe e precisam esperar 21 dias de intervado entre elas.

Doses Pfizer ficam em Curitiba por enquanto

O Paraná receberá 67.774 doses da vacina Comirnaty da Pfizer/BioNTech. A previsão da pasta é de que o envio destes imunizantes ao Estado ocorra na próxima semana. “Inicialmente concentraremos este segundo lote da Pfizer aqui no Cemepar, em Curitiba, mas isso não impedirá a descentralização para outros municípios, desde que possuam armazenamento adequado para manter as doses refrigeradas por até cinco dias”, explicou Beto Preto. Mas a Sesa já estuda o envio para outras cidades do Estado.

O Ministério da Saúde recomendou esta semana que o intervalo entre a primeira e a segunda dose do imunizante Comirnaty da Pfizer seja de 12 semanas (três meses), assim como já é adotado com a AstraZeneca. A recomendação inicial era de 21 dias entre as doses. A Secretaria Saúde realizou uma videoconferência com as 22 Regionais de Saúde na segunda-feira (3) para repassar a nova orientação enviada por informe técnico do Governo Federal.

Ainda segundo o Ministério da Saúde, a vacina deve ser armazenada por no máximo cinco dias à temperatura de +2ºC a +8ºC, até 14 dias (duas semanas) à temperatura de -25ºC à -15ºC e durante toda a validade (seis meses) em freezers de ultrabaixa temperatura (-80ºC à -60ºC). Quando diluída em soro fisiológico para preparação, o total de seis doses por frasco-ampola deve ser utilizado em até seis horas, sob refrigeração (+2ºC à +8ºC).

Mais kits entubação

A Sesa também recebeu nesta quinta 185 mil ampolas de medicação do ‘kit entubação’ para reforçar os estoques. Segundo o secretário, ainda nesta semana o Paraná enviará ao hospitais da rede de atendimento à Covid-19 e aos municípios cerca de 205 mil ampolas de medicamentos elencados no chamado kit de intubação para atendimento aos pacientes suspeitos ou confirmados com a doença. “Pouco mais de 185 mil medicamentos são aquisições próprias da Secretaria da Saúde e o restante adquirido pelo Consórcio Paraná Saúde. Este quantitativo auxiliará no enfrentamento da pandemia nos hospitais do plano de atendimento à Covid-19”, explicou o secretário.

Com informações: Bem Paraná