Faleceu na manhã desta quarta-feira (05), aos 93 anos, o ex-prefeito de Arapongas e ex-deputado José Colombino Grassano. Sua morte repercutiu imediatamente, pois Colombino era dono de um grande círculo de amigos não só no município, mas também em todo o Estado. “Cada vez que nossa comunidade perde alguém, vai um pouco da sua história. Mas nesta quarta-feira, com o falecimento do Dr. Colombino Grassano, Arapongas sofre uma perda inestimável”, afirmou o prefeito Sérgio Onofre.

Ele definiu Colombino Grassano como “grande homem, pai, amigo e avô”. “E o que dizer da sua carreira política? Prefeito, deputado, secretário de Estado, chefe da Casa Civil. Arapongas e o Paraná perdem um grande guerreiro. Sorte daqueles que, como eu, puderam conhecê-lo de perto e aprender lições para toda a vida! Descanse em paz amigo! Vou me lembrar sempre das nossas boas conversas”, disse o prefeito, que cumpria agenda em Curitiba e retornou para o cortejo fúnebre. “Quero registrar minhas condolências para toda a família e posso dizer que aqueles que conhecem a história de Arapongas e a importância do enorme trabalho realizado pelo Dr. Colombino estão enlutados neste momento”, acrescentou o prefeito. Onofre lembrou as conquistas de Arapongas com Colombino, em especial na área da industrialização, com a abertura do primeiro parque industrial, do urbanismo e da educação.

José Colombino Grassano foi prefeito por dois mandatos (1955 a 1959 e de 1964 a 1968). Além disso, foi deputado estadual por três mandatos, secretário do Interior e Justiça de 1959 a 1960, no governo de Moisés Lupion, chefe da Casa Civil no governo Paulo Pimentel e auditor do Tribunal de Contas. O prefeito Sérgio Onofre decretou luto oficial por três dias.